Realidade Aumentada na Manutenção em Nuvem: solução da Mentore eleva as atividades operacionais de campo ao conceito da Indústria 4.0

Para atender uma demanda da Sabesp, agregar o conhecimento técnico e aprimorar a geolocalização dos ativos nas principais Estações de Tratamento de Água e Esgoto que atendem a Região Metropolitana de São Paulo, empresa de tecnologia cria plataforma que reproduz instalações em estruturas virtuais tridimensionais fidedignas, os “digital twins”. Integrada a sistemas internos, a solução eleva o patamar de manutenção da indústria com segurança e o próximo passo é dar robustez à gestão de dados com inteligência artificial, visando a manutenção preditiva.

Fundada como uma fábrica de software em 2003, a MentoreIT é uma empresa da área de Tecnologia da Informação que elabora soluções para a indústria, visando atingir melhores níveis de eficácia, com base no conceito da indústria 4.0. Tendo experiência com diferentes setores, do petroquímico à mineração, passando por utilities e serviços, trabalha com conceitos próprios da quarta revolução industrial, como a internet das coisas e a computação em Nuvem.

Identificando as demandas da indústria

Uma das primeiras soluções da trajetória da empresa, que gerou bons resultados, envolveu a automação de instrumentos laboratoriais para um cliente do setor petroquímico.

A proximidade com a indústria ajudou a detectar demandas específicas, como a necessidade de aproximar a dinâmica do escritório, muitas vezes organizada em planilhas e sem integração, ao campo. Este está sujeito a trabalhos manuais e carente de ferramentas de auxílio ao profissional da ponta do processo. Outro desafio era um mapeamento exato das instalações. “Na operação, há dificuldade em localizar e identificar ativos com precisão, além de distinguir procedimentos de cada um deles”, explica Fábio Nóbrega, CEO da MentoreIT.

Promovendo soluções para um desafio de grandes proporções

Especializada em soluções próprias da indústria 4.0, a empresa arquitetou estruturas virtuais que remetem à planta física de um ambiente, com um as-built tridimensional dela mesma, um retrato fiel daquela instalação. “Nossas soluções trabalham com a digitalização do ambiente industrial”, continua. Com a identificação de pontos de interesse ou POIs (da sigla em inglês de Points of Interest), a solução mapeia a instalação, agregando informações de diversos sistemas, e é possível fazer o monitoramento daqueles equipamentos, por meio de um dispositivo móvel ou de realidade mista, com muito mais precisão do que uma operação manual.

A plataforma surgiu para atender uma demanda da Sabesp que precisava elevar o nível de manutenção na Diretoria Metropolitana. O projeto contemplou a implantação em 105 unidades entre ETAs (Estação de Tratamento de Água) e ETEs (Estação de Tratamento de Esgoto) e estações elevatórias com 2500 equipamentos eletromecânicos de alta disponibilidade, na região metropolitana de São Paulo, preservar o capital intelectual de seu corpo técnico para ganhar tempo e qualidade no processo, além de simplificar a manutenção de ativos e da tubulação de sua rede.

“Precisávamos ter um melhor conhecimento visando reduzir o tempo de atendimento na parte de manutenção para a gestão de ativos para a parte eletromecânica e a parte de tubulação enterrada”, explica Marcelo Fornaziero, gerente de departamento MP Sabesp. Com o conhecimento disponível na plataforma, não há mais a necessidade de enviar um profissional específico ao local e a localização dos ativos também foi simplificada.

No total, a Sabesp atende 375 municípios, é responsável pelo fornecimento de água para 28,1 milhões de pessoas e tratamento de esgoto para 24,5 milhões, é uma das maiores organizações do mundo em termos de clientes atendidos. A Diretoria Metropolitana é parte crucial desse processo, responsável por 70% do faturamento da empresa e presta serviço para a região metropolitana de São Paulo, que representa 21 milhões de pessoas e mais de 15% do PIB nacional – um mercado exigente, importante e onde uma simples falha pode gerar um impacto de grandes proporções. “Em termos de tamanho e da importância da econômica da região, temos que ter um atendimento muito bom e ágil”, conta Marcelo.

Tecnicamente falando

A Sabesp optou por iniciar o projeto com a parte da manutenção eletromecânica dos ativos, deixando a tubulação para um segundo momento. A empresa já tinha familiaridade com o ambiente do Azure e a solução desenvolvida faz a integração com todos os sistemas internos do usuário, de banco de dados às informações geográficas de cada ativo, desenvolvida com base no Azure e apoio da Advanced Info, empresa parceira Microsoft. “Percebemos a possibilidade de trabalhar com o banco de dados SQL, com a solução em Nuvem do PaaS (Plataforma como Serviço), que trazia ganhos inclusive em termos de custo”, afirma Fábio.

O banco de dados SQL é um mecanismo de armazenamento de PaaS, em que grande parte das funções de gerenciamento, como atualização, aplicação de patches, backup e monitoramento, não precisam do envolvimento do usuário. A ferramenta ainda permite a criação de uma camada de armazenamento de alta disponibilidade e desempenho para aplicações e soluções desenvolvidas no Azure.

Os pontos de interesse, como painéis de subestações de tratamento de esgoto e outros equipamentos, foram identificados com marcadores eletrônicos inteligentes RFid (do inglês do inglês “Radio-Frequency Identification” ou “Identificação por radiofrequência” em tradução literal), reunindo todas as informações necessárias para a manutenção, criando uma réplica virtual daquela instalação, disponibilizando os dados de cada um com exatidão. “Fazemos um ‘digital twin’, por meio da identificação e da localização da infraestrutura e dos equipamentos. Atrelado a isso, colocamos uma camada que é a nossa solução de mobilidade, com os procedimentos e processos do campo na plataforma”, complementa Marcio Navarro, engenheiro de Inovação e Serviço MentoreIT.

A ferramenta, batizada Mobilidade Inteligente de Redes e Equipamentos (MIREar), continha um link conectado, via internet, para permitir o monitoramento da plataforma pela MentoreIT, sem interferência para o usuário. “A solução é Azure, também temos o contrato de suporte de serviços e acompanhamento do nosso ambiente, além de controlar nosso uso de serviços Microsoft, por meio de Dashboards”, conta Fábio.

A visualização de todas essas informações reunidas fica disponível em qualquer equipamento mobile, como um tablet, além de dispositivos de realidade mista, utilizado pela empresa, que conta com mais funcionalidades. “O dispositivo escaneia o ambiente, apresenta os POIs e, a partir deles, você entra na aplicação”, conta Fábio.

Retorno positivo e a satisfação dos clientes

Marcelo avalia que a solução deu agilidade e presteza para o atendimento da Sabesp, mas também potencializou projetos futuro, como a construção e reformas das instalações e de expansão de redes de esgoto. “Incorporamos atividades de preparação para o futuro. Todas nossas estações estão sendo digitalizadas em ambientes 3D para que, nas próximas expansões, a gente possa trabalhar já nesse modelo com as nossas informações e muita precisão, além da correção em tempo real”, celebra.

Também explica que a estrutura em Nuvem facilita a implementação de novos projetos. “Se fosse on premise demoraria mais, passaria pelo processo de comprar o servidor, storage, então o consórcio foi muito feliz com o Azure”, completa.

A localização e a identificação de cada ativo foram alcançadas. “As informações são milimétricas, contemplam a dimensão de uma bomba até o tamanho de um parafuso”, conta Fábio. A manutenção assistida é mais um benefício gerado, pois pode preservar a saúde de profissionais com idade mais avançada, em tempos de crise sanitária, e permitir uma manutenção emergencial, independentemente da localização do expert. “O operador da manutenção pode ser assistido por um especialista, que está lá virtualmente e interage com auxílio da realidade aumentada”, aponta Fábio.

Relata ainda que a complexidade da ferramenta costuma surpreender os clientes. “A solução promove uma mudança de cultura ao trazer informações que não estavam disponíveis anteriormente. Tudo para auxiliar a equipe de manutenção com performance, capacidade de atendimento e precisão”, explica. Fábio ainda complementa analisando o apoio e o suporte recebidos da empresa parceira Advanced. “Foi um trabalho de confiança no parceiro, que apresentou caminhos interessantes que deram resultado”, afirma.

Próximos passos: Inteligência artificial

Com a integração dos sistemas internos e o mapeamento tridimensional preciso das instalações, são fornecidas informações em tempo real, como temperatura, vibração, movimento da água. O próximo passo está em antecipar esse monitoramento, com ferramentas de inteligência artificial e Power BI. “Queremos trazer inteligência artificial e prover informações de melhoria de processo antecipadamente, além de gerir as informações transacionadas dentro da plataforma com o Power BI. Assim, gerar uma proposta para o cliente com retorno de custo e um ganho de performance”, complementa Marcio.

"A solução promove uma mudança de cultura ao trazer informações que não estavam disponíveis anteriormente. Tudo para auxiliar a equipe de manutenção com performance, capacidade de atendimento e precisão. "

– Fábio Nóbrega: CEO
MentoreIT

"Fazemos um 'digital twin', por meio da identificação e da localização da infraestrutura e dos equipamentos. Atrelado a isso, colocamos uma camada que é a nossa solução de mobilidade, com os procedimentos e processos do campo na plataforma."

– Marcio Navarro: Engenheiro de Inovação e Serviço
MentoreIT

"Percebemos a possibilidade de trabalhar com o banco de dados SQL, com a solução em Nuvem do PaaS (Plataforma como Serviço), que trazia ganhos inclusive em termos de custo."

– Fábio Nóbrega: CEO
MentoreIT

Clique Aqui para consultar a matéria na íntegra no site da Microsoft.